Skip to content

CÉLINE | PARIS # F/W 2011-12

06/03/2011

A aula de moda da Céline continua no inverno

 

Fotos: Style.com

No início dessa tarde de domingo Phoebe Philo deu mais uma aula de como se fazer moda com a coleção outono/inverno 2011-12 da Céline. Desde sua primeira coleção para a marca, no outono/inverno 2009-10, Philo tem causado movimentação no que seria a nova expressão do ser chic, que carregaria uma forte dose de minimalismo, porém está aberto a explorar novos campos e agregar novos conceitos. Em sua terceira coleção para Céline, Philo coloca na passarela uma estampa que pode ser a mais marcante dessa temporada, a estampa de mogno.

Aula de Philo foi bem simples, e pode ser compreendida nas seguintes unidades: cartela de cores, silhueta, uso de materiais e composição. Vejamos cada ponto:

Na cartela de cores, com base nos tons terrosos, a coleção se apoia na tonalidade do marrom como a cor básica da cartela e se lança naquilo que é bem possível com essa cor tal como a junção com os beges, amarelos, cordovan e o verde. Acrescidos de uma dose sábia de azul que encontra estabilidade no branco e fechamento ideal no preto. As cores se harmonizavam na escala de tons, evitando os contrastes e isso, por natureza, já confere elegância.

Na silhueta, a profusão de linhas verticais alongam o corpo de maneira a mantê-lo com suas proporções, que tem a cintura levemente marcada, a saia na altura dos joelhos, e a concepção de praticidade advinda desse paralelismo vertical, que se traduz nas calças de recortes, em modelagem slim. Ideal para mulheres magras, o biotipo europeu, que não funciona muito com a brasileira de quadril largo.

O uso de materiais como a lã e o couro embora tenham sido a base da coleção, cresceu com a mistura dos dois em cores diferentes, com densidades diferentes. Inseriu  a dinâmica que as tais linhas verticais poderiam der deixado estática. O couro aparece ao lado da lã, da organza –  e aí, nessa combinação perigosa, é que estão as peças mais bonitas, as blusas tranparentes, sem mangas, que são perfeitas para serem usadas com qualquer calça de alfaiataria. Isso torna a coleção tão usável, prática. Mesmo os casacos onde a abas –  típicas de Philo nesse momento – se projetam o tempo todo, não parece nada de incompreensível ou estranho, mas tudo tem cara de novo e exala o futuro.

Phoebe Philo deu uma nova identidade para Céline que é muito clara, alinhando bem o comercial, sem ser vazia de ideias. Coisa difícil de se fazer, e que muitos designers precisam aprender. Ser comercial sem perder o traço diferencial e a capacidade de surpreender. Philo encontrou esse caminho na Céline, que todos esperam que dure. Basta lembrar que ela trabalhou a túnica na colção passada e ver o quanto isso refletiu nesse inverno.

This slideshow requires JavaScript.

No comments yet

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: