Skip to content

PFW SUMMER 2011 – VIKTOR & ROLF VOLTAM AS CAMISAS!

02/10/2010

 Azul e rosa tomaram a passarela de Viktor & Rolf em mais uma visita da dupla ao guradarroupa masculino!

A outra face da simplicidade | Reprodução Vogue UK

A dupla holandesa Viktor Horsting e Rolf Snoeren desconstruiu e explorou as possibilidades que a camisaria masculina tem a oferecer, em um desfile quase colorido, romântico, leve e conceitualmente fraco, no início dessa tarde (02/10) em Paris. 

De maneira geral, os elementos que cobriram as roupas, que tinha uma modelagem oriunda da camisaria masculina foi o que trouxe o diferencial das peças, embora não tão significativo. O punho deslocado para logo acima do cotovelo, em tamanho exagerado, foi o elemento mais presente no desfile, assim como as pequenas franjas que paralelamente cobriam vestidos chemises, formando lindas linhas verticais em salmão. O desfile começou com azul, passou para o salmão e depois encontrou o branco, tons de azuis mais claros, até chegar ao cinza e ao preto. Entretanto, o bloco final com o branco acetinado foi o momento mais sublime.

A camisaria revisitada! | Reprodução Vogue UK

As camisas com palas frontais e pregas, os vestidos chemise com alças assimétricos, os punhos repetidos aos montes, me transpotaram imediatamente a outras coleções onde a dupla vasculhou e modificou a vestimenta masculina, em especial a camisa. Poderia dizer que esta é uma peça significativa para eles! É a terceira coleção onde trabalham este processo de desconstruir e criar modelos a partir da camisa masculina. A primeira vez foi no outono/inverno 2003-2004, em uma coleção mais escura, que transformou não só a camisaria, mas também o terno masculino. Já no coleção seguinte, o verão 2004, o trabalho foi mais leve, mais desejável, em peças limpas – usando o branco e bege na cartela. Eles criaram: “As camisas brancas mais estonteantes de Paris”, como citou Regina Guerreiro na época. Essa coleção tem muito da que foi apresentada hoje. Particularmente prefiro a coleção do verão de 2004, talvez seja uma das coleções mais minimal que eles tenham feito. Talvez!

A beleza do branco! | Reprodução Vogue UK

Essa coleção tem seus prós, embora não tão aparentes. Um deles é, por exemplo, que a simplicidade nem sempre precisa parecer simples. E assim Viktor & Rolf exploraram volumes, misturas e sobreposições, sem carregar o visual demais. As pequenas pérolas que contornavam os punhos em tecido texturizado, os paetês que cobriram golas e fixaram o drapreado do chemise branco quase ao final do desfile. Um imagem marcante, fruto de mentes criativas que mais uma vez decidiram repensar a simplicidade.

No comments yet

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: