Skip to content

SPFW VERÃO 2011 – DAY 1

10/06/2010

A mais importante semana de moda do Brazil deu seu start nesta quarta-feira, 09/06, no prédio da Bienal em SP, todo ornamentado como se fosse um parque de diversões, com grande cataventos e uma roda gigante no hall principal da Bienal.

Aqui vai o resumo de tudo que rolou no primeiro dia.

TUFI DUEK

Tecnologia sintética no verão da Tufi Duek

 Na direção criativa da Tufi Duek – ex Forum Tufi Duek – Eduardo pombal propôs um verão que é uma continuação leve do inverno passado, ao menos no quesito proporção e inovação tecnológica. Na passarela, era possível identificar muitas referências, por alguns segundos parecia Helmut Lang, aquilo eram os puros anos 90, mas derrepente os recortes e você parecia ser conduzido a um dos modelos de Ghesquère. Pombal reestruturou a  marca que agora parece um puco mais autoral, embora as peças apresentem a mesma comercialidade. difícil é saber se as consumidoras da maca vão gostar das inovações. Foi a festa do sintético, tudo muito plástico, aparentemente prático e estremamente minimalista. A clutch laranja presa no ante-braço foi uma graça, bem como a calça de corte quase reto e cintura um pouco mais baixa, que junto com os tubinhos plásticos longuetes evocaram ao máximo a estética da década passada. Na passarela tudo funcionou, mas será que fora delas funcionará também?

ERIKA IKEZILI

A agressividade da natureza inspirou Erika Ikezili

Erika tem uma mão muito boa, que sabe onde pesar e onde pegar leve, neste verão ela soube como ser conceitual, fazendo um espetáculo e realizando um dos desfiles que talvez seja um dos mais comentados da SPFW. A agressividade da natureza era sua inspirção, e isto ficou muito prezente nas estampas presentes em todos os looks do desfile, no floral manchado que a primeira vista parece muito impactante, mas depois cativa e seduz. Outro ponto forte no desfile foi a tentativa de inventar uma nova silhueta, menos estruturada, Ikezili talvez tenha errado ao fazer isso com tantos recortes, drapeados, isso pareceu pesar um pouco, embora o conjunto tenha certa perfeição. O que realmente, em alguns momentos, sou agressivo foi a mistura de tecidos, 5 até em uma única peça. O que dosou a coleção foi sem dúvida o finale em branco. Foi um bom trabalho, que precisa de mais de uma observada para se admirar.

PRISCILLA DAROLT

Um verão em camurça

Quem pensaria em usar camurça durante o verão? Bem, isso foi o Priscilla Darolt pensou. Pensou e contruiu vestidos com inspiração no Art Décor em uma cartela de cores que ia do vermelho terra até o branco. Ela fez isso ainda mesclando a camurça com o couro em uma mistura que lembrava amazonas gregas am um dos episódios de Hércules ou Xena, a princesa guerreira. Foi comercial, festivo, tudo muito cocktail, nada para aquelas mulheres que trabalham e simplismente vivem a vida real, mas isto também é moda.

ROSA CHÁ

O beach-ready-to-wear da Rosa chá

Em sua segunda coleção para a grife Rosa Chá Alexandre Herchcovitch dá continuidade a sua transformção iniciada em sua estreia no inverno passado. Esta coleção foi uma leve continuação do inverno, pelo menos na concepção do beach wear como peça de budoir. Hercovitch já imprimiu sua marca na grife, como? Com recortes, muitos, triângulos bem posicionados que moldam e figuram de maneira a enaltecer as formas do corpo. As estampas, outra característica, começam a aparecer também. O nude do inverno passado voltou acompanhado de um floral em fundo preto muito atrativo.  A verdadeira inovção porém vem com a  migração de uma marca que somente comercializava moda praia para a produção de roupas de noite também. Os longos que Alexandre criou ficaram tão lindos que até esquecemos dos biquinis e maiôs. Vai arrazar em NY com certeza!

RESERVA

Sportwear dos anos 70 na cabeça da Reserva

O lado sport da marca ficou muito aparente no styling da marca Reserva esta estação. A estética foi a dos anos 70, garotos que estavam prontos para curtir a noite no Studio 54. Embora os clientes da marca sejam modernos, a visão estética que agrada os fashionistas é um pouco difícil de ser assimilada pelos meninos. Os dolphin shorts com cores diferentes, os agasalhos esportivos e todo o street wear setentista é uma experiência um tanto quanto estranha quando digerida de uma vez. A visão do homem da Reserva, uma das marcas masculinas mais badaladas do pais, foi um pouco confusa, um comercial de elaboração duvidosa, que versa entre o brega e o banal. Mas nem tudo foi só estranhamento, a estampa de oncinha para os meninos foi algo que se esperava a muito, e ficou bom demais, certamente entrará para a wishlist.

fotos: FFW – Agencia Fotosite

No comments yet

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: