Skip to content

FILMES PARA REVER EM 2010

06/02/2010

2009 foi um ano de muita coisa boa no cinema, roteiros adaptados fizeram muitas salas ficarem lotadas. Dos tantos filmes de 2009, o blog [NUNES:FERNANDO], escolheu cinco para entrar para uma lista dos mais queridos do ano que passou. Veja as razões pelas quais você tem que rever estes filmes ou ver, se ainda não os viu

Marley e Eu
O que: Marley e Eu é uma comédia. Sim, é difícil dizer isso depois das lágrimas que todos os que assistiram derramam ao final. A coisa é, que filmes sobre animais (cachorros, gatos, ratos, pássaros), tendem a parecer meio clichê: todos com animais mais inteligentes que o normal.
Porém Marley – o cachorro em questão -, é um cachorro normal, que late, faz coisas sem sentido e muita bagunça. É justamente isso que torna o filme extraordinário. É um filme de um cão que se comporta como cão, nada de salvar a vida de alguém ou coisa parecida.
Quem: Owen Wilson e Jennifer Aniston são as estrelas ao lado do cão Marley nesta comédia. Eles são um casal de jornalistas que começam a vida juntos, casam, mudam de cidade e tem filhos. Tudo acompanhado por Marley o cão de estimação da família.
Por que: é um filme de David Frankel – mesmo diretor de “O Diabo veste Prada”. O roteiro é simples e comovente, uma adaptação do romance homônimo. Dá para rir e chorar com o filme, onde se aprende o quanto um animal de estimação realmente deve ser estimado

O Leitor
O que: um drama passado durante o pós-guerra na Alemanha, com um roteiro denso e intrigante. Apesar de ser um filme sobre o nazismo, nada de cenas de atrocidades, desta vez, só comentários e relatos de um tribunal de guerra, onde a personagem principal é julgada.
Quem: A vencedora do Oscar da academia de melhor atriz por sua atuação no filme, Kate Winslet vive Hanna Schimmitz, uma mulher condenada por crimes de guerra por não querer revelar um segredo de sua vida. O romance da história fica por conta de um relacionamento de Hanna com um garoto que mais tarde reencontraria, um garoto que mudou sua vida e a libertou de seu segredo, embora muito tarde.
Por que: o roteiro é de David Hare, adaptado do romance homônimo de Bernhard Shlink, com direção do poderoso Stephen Daldry. É muito atrativo, do começo ao fim, sem dúvida um dos melhores filmes do ano, que ao final deixa você com um sentimento confuso, que leva algum tempo para se entender. A atuação de Kate foi sem dúvida a melhor, uma das coisas mais impressionantes do filme, vale a pena assistir só para vê-la.
Do começo ao fim
O que: produção nacional que causou muita polêmica desde quando o vídeo de promoção escapou na rede. O filme conta a história de um romance incestuoso bem sucedido entre dois irmãos, Francisco e Thomás, em uma dimensão da realidade que por alguns segundos não parece ser a nossa, a da vida real.
Quem: os atores Rafael Cardoso e João Gabriel Vaconcelos vivem os protaginistas do drama/romance com roteiro e direção de Aluízio Abranches. O filme é muito delicado ao abordar a homossexualidade enquanto os meninos são crianças, o que melhor retrata este momento é a atuação de Julia Lemmertz, que vive Julieta, a mão dos rapazes.Por que: o texto é divino, o que garante satisfação de imediato, o elenco também parace ter se entrosado muito bem. As locações são belíssimas, inclusive as de Buenos Aires. Quem gosta de romance romântico, esta é uma agradável opção.

  

 

Coco antes de Chanel
O que: o início da trajetória da mulher que se tronou um ícone no mundo da moda, Gabrielle Chanel. A história dos primeiros anos de sua vida, de como deixou a vida simples de cantar na noite e o sonho de ser atriz para entrar num mundo de luxo, poder e riqueza.
Quem: Audrey Tautou parece a própria Chanel, reflete tudo aquilo que mademoiselle parece transparecer em fotos e relatos. Outro que está maravilhoso é Alessandro Nivola, encantadoramente sedutor. Embora o roteiro de Anne Fontaine seja um pouco água com açúcar, dá para sentir muito bem o gosto de quem foi Coco Chanel.
Por que: Algo que foi muito bem explorado no roteiro, foi a inteligência de Coco, sua personalidade e a descoberta do amor, seu primeiro. A arte poderia ter sido um pouco mais trabalhada, bem como o figurino. Porem é impossível não gostar, a historia e leve, mas carrega você.

 

Abraços Partidos
O que: reviver os fatos do passado sempre rende muito pano pra manga. É assim que é contada a história de Mateo Blanco, roteirista e diretor de cinema, que perde o grande amor de sua vida em um trágico acidente de carro. A moça pobre que casa com industrial rico e mais tarde encontra seu verdadeiro amor, como mudar sua vida? É basicamente sobre isso o filme.
Quem: Mais uma vez Pedro Almodóvar faz uso da metalinguagem para falar de cinema num filme, e faz bem! Em mais um drama/comédia/romance Almodóvar não surpreendeu tanto, mas soube deixar todos com o gostinho de quero mais. A interpretação de Lluís Homar ficou brilhante ao lado de Blanca Portillo. Penélope Cruz está belíssima, embora em algumas cenas ela pareça uma atriz de novela mexicana (truque de Almodóvar, talvez).
Por que: Almodóvar é sempre bom de ver! Seus roteiros de vai e vem são agradabilíssimos, não cansam, mesmo que a história não seja tão original assim. Os personagens são tão significativos que o tempo do filme é pouco para tê-los, dá vontade de levar para casa! A fotografia tem momento sublimes, assim como o texto também. Inegavelmente “Jo soy Almodóvar!”

cartazes: divulgação

One Comment leave one →
  1. 17/10/2011 11:44

    Strikingly well written blog post

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: