Skip to content

PARIS MENSWEAR FALL/WINTER 2010

26/01/2010

 O que vimos nas passarelas de Paris não foi muito diferente do que rolou nas passarelas de Milão. Basicamente as tendências são as mesmas, o inconsciente coletivo que atinge os designers anda bem coletivo neste inverno.

Em quase absoluto, o guarda-roupa proposto está todo em preto, porém o marrom, o bege, o verde e o azul são as cores que o acompanham.

Alguns elementos que foram presentes em Milão aparecem diferentes em Paris, como as calças. Em Milão elas ainda continuaram justas, sequinhas e curtas na barra, em Paris, a coisa mudou de figura e elas aparecem mais soltas, com mais volume e até bag!

Ann Demeulemeester e Comme des Garçons Homme

Uma outra coisita que também deu as caras foi a ideia de fazer alguma coisa diferente com a barra da calça, talvez uma ribana, abotoamento ou somente mais justa que o restante. Viktor & Rolf apostaram no que deu um ótimo resultado. Já para Gaultier, os seus boxers se identificaram totalmente com o estilo.

Viktor & Rolf e Jean Paul Gaultier

O shape do top masculino parece que também vai ser diferente no inverno, as formas estão mais longe do corpo, ainda que só um pouco. Parece que a noção de espaço do corpo masculino está em questão novamente, embora alguns designers, como Rick Owens, já façam esse questionamento a muito. Uma certa dose de conforto e casualidade foi acrescentada no look masculino neste inverno e o cinza está presente nesta mudança, a cor do relax.

Rick Owens / Paul Smith / Tim Hamilton / Lanvin

Simplicidade também foi a ordem da vez, sem muitas estampas, as coleçãos foram quase que monocromáticas. O xadrez tentou ressurgir, tímido, mas foi encoberto pelo preto soberano.

Givanchy / Dries Van Noten / Kris Van Assche

A alfaitaria, como sempre, foi garantida, de maneira mais leve também, sem muitos excessos, ainda prezando pelo conforto e a elegância, alguns até tradicionais demais, caso de Junya Watanabe. A diferença ficou por conta dos materiais trabalhados: uma possível retorno do veludo.

Dior Homme / Junya Watanaba / Louis Vuitton

E nessa de alfaitaria, claro que o militarismo não ficaria de fora… Vale até couro de crocodilo par fazer uma jaqueta mais do que desejável da Hermés.

John Galliano e Hermés

A insistência boa deste inverno foram as saias, particularmente um luxo, de extremo bom gosto, mas um desafio na vida. Para e pense no seu pai, marido, namorado com uma saias dessas… É algo difícil de se disseminar, não é a primeira vez que elas aparecem, mas sempre ficam só nas passarelas. Marc Jacobs é fiel adepto.

Talvez esta seja uma mudança parecida com a que Chanel introduziu ao transformar o vestuário feminino com elementos masculinos, como a calça comprida. Talvez leve tempo, muito tempo, mas é confortável e bonito de ver.

Raf Simons, como sempre, construiu o homem moderno com exatidão, e o homem moderno dele usa saia, longa de abotoamento coat e bolsos laterais. Porém não foi só ele que propôs a moda.

 

Raf Simons e Yves Saint Laurent

fotos: Vogue UK

No comments yet

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: